Livros reúnem e divulgam novas pesquisas científicas sobre o Pantanal e vale do Guaporé

14/12/2020 às 19:01


Duas importantes obras estão sendo lançadas no dia 16 de dezembro, a partir das 19 horas, no Sesc Pantanal, pela Entrelinhas Editora e Editora da Unemat. Os livros, organizados pela professora Dra. Carolina Joana da Silva e outros professores, tiveram a participação de 86 autores-pesquisadores de diversas instituições, ao todo.


O livro Comunidades Tradicionais do Pantanal, organizado pela professora Dra. Carolina Joana da Silva (Unemat) e professor Dr. Germano Guarim Neto (UFMT), ilustrado pela artista visual e doutora em biodiversidade Ruth Albernaz, será lançado pelas editoras Entrelinhas e da Unemat. A obra é resultado das pesquisas realizadas nos últimos anos por 23 autores, descritas em 12 capítulos, no campo da Etnobiologia no Pantanal.



Influenciados pelo pulso de inundação, populações tradicionais do Pantanal compartilharam seus saberes, práticas e conhecimentos sobre a vida no Pantanal com os pesquisadores. O campo de estudo foi diversificado na sua abordagem, olhando a organização ambiental, vivenciando a observação participante, registrando o cotidiano e as percepções dessas comunidades. De acordo com a cosmovisão desses povos, a noção de natureza e cultura se coaduna a partir da relação de interdependência de ambos os domínios. Grupos de plantas, aves e peixes foram estudados na perspectiva do conhecimento ecológico tradicional e local, assim como na sua aplicação para geração de emprego e renda para o turismo ecológico no Parque Nacional do Pantanal. O livro destina-se à comunidade em geral e contribui com novas pesquisas interdisciplinares.


O livro ABC do Guaporé: Água, Biodiversidade e Biotecnologia e Cultura é fruto do trabalho de uma equipe de 62 pesquisadores, alunos e colaboradores, pensado pelo projeto Conhecimento e Uso Sustentável da Biodiversidade da Amazônia Meridional, Rede Bionorte, e sua coordenadora, professora Dra. Carolina Joana da Silva, acompanhada na organização do trabalho por Keid Nolan Silva Sousa, Marcos Silveira, Maria Aparecida Pereira Pierangeli e Nilo Leal Sander. O projeto foi elaborado e desenhado para suprir lacunas de conhecimento em áreas de extrema relevância geopolítica, sua área core de atuação, município de Vila Bela da Santíssima Trindade, está alocada no “arco do Desmatamento”, zona de intensa atividade de supressão da biodiversidade nativa. Este município também é berço da história do Estado de Mato Grosso, o qual foi a primeira capital da então capitania do Estado de Mato Grosso, área de refugiados quilombolas, onde seus descendentes ainda vivem e se utilizam dos recursos naturais ali presentes. O livro está dividido em três principais linhas, a área de água, a de biodiversidade e biotecnologia e a de cultura e nas três linhas os mais de 60 integrantes revelaram detalhes importantes e novos para a ciência na região, que poderão servir de subsídios para formulações de atividades de proteção ambiental e formulações de políticas públicas. Esta obra também mostra como o trabalho em rede bem coordenado e integrado é benéfico para todas as partes. E, para finalizar, há um consenso que os resultados presentes nesta obra, significam passos para alianças em direção ao equilíbrio entre sociedade e natureza, refletindo um desenvolvimento verdadeiramente sustentável.



A organizadora Carolina Joana da Silva informa que os recursos auferidos com a venda do livro Comunidades tradicionais do Pantanal serão revertidos para as escolas das comunidades pantaneiras de Estirão Cumprido e Cuiabá Mirim. Os resultantes das vendas de ABC do Guaporé serão aplicados na Escola Estadual Vetena Leite de Brito, em Vila Bela da Santíssima Trindade, onde a equipe trabalhou por cinco anos pelo projeto da Rede Bionorte.


Adquira os exemplares acessando os links abaixo:

• Comunidades Tradicionais do Pantanal

• ABC do Guaporé


 

Fonte: Assessoria

Formas de Entrega

Formas de Pagamento

Cartões de Crédito

Débito Automático

Boleto bancário

e-box ShopSitevip Internet